Chearoco - Rumos: Roteiros para sua próxima aventura!
Chearoco
 Arquivos disponíveis:
Trekking moderado
Montanhismo moderado

País - Bolívia Bookmark and Share

Chearoco

Altitude Máxima: 6127 metros.

Altitude Mínima: 3990 em Peñas

Temporada ideal: De Maio a Setembro

Outros locais do roteiro:

  • Pico Calzada
  • Chachacomani
  • Kelluani
  • Forma da obtenção dos dados:

    Via GPS 62s por Maximo Kausch e Pedro Hauck

    Mais informações sobre este roteiro:


    O Chearoco é uma das montanhas acima dos 6 mil metros menos conhecidas e menos escaladas da Bolívia e consequentemente com menos informações disponíveis, possuindo apenas breves “dicas” de como escalá-las nos guias impressos das montanhas bolivianas, onde as informações estão desatualizadas e pouco detalhadas, sem, por exemplo, ter um mapa adequado da região.

    O acesso à esta montanha foi facilitado em 2014 pela construção de uma estrada, não pavimentada, que sobe o vale do rio Jallpa, que agiliza bastante a aproximação. No entanto não temos informação quanto à receptividade dos locais com relação aos estrangeiros. Esta estrada foi usada como rota de descida pela expedição de Maximo Kausch e Pedro Hauck, autores deste tracklog que realizaram a primeira escalada brasileira a este pico.

    Acesso

    Com a construção da nova estrada, o melhor acesso passa a ser pela cidade de Peñas, distante cerca de 50km de La Paz. A cidade base, no entanto, continua sendo a capital do país, onde há aluguel de equipamentos e todos os outros serviços. Em Peñas vive o Padre Antônio, que cuida da paróquia local e também é responsável pela manutenção das escaladas em rocha atrás da Igreja. O padre Antônio é grande conhecedor da região e pode ajudar em caso de dúvidas.

    Com um veículo com suspensão alta, toma-se o caminho de terra que sai de Peñas rumo a Coromata, um pequeno povoado no meio do nada. Cruzando a ponte metálica ao lado da cidadezinha há um caminho que sobe um pedimento na direita, que é o mesmo que vai para o Chachacomani. O caminho para o Chearoco, no entanto, é um desvio na esquerda que chega a nova estrada. No final deste novo caminho começa a aproximação à montanha.

    Aproximação

    A aproximação se dá pelo vale de Jallpa. O caminho é bem marcado, já que no fim do vale é um garimpo. Porém há que se ter cuidado para chegar até os mineradores, pois o acesso ao Chearoco se dá por um desvio em um vale suspenso que deriva para o Sul logo após a segunda lagoa de Jallpa. A subida deste vale é um pouco confusa, mas fácil, pois ninguém vai lá e não há trilhas senão as deixadas pelos animais.

    Chegando ao topo do vale há um belo lago onde se estabelece o acampamento base a 5030 metros de altitude. Este local é bem confortável e protegido, porém dependendo de seu preparo um pouco baixo para o ataque ao cume, que é técnico.

    Há um acampamento avançado que fica 300 metros verticais mais alto e que também é bem protegido, sendo uma boa opção para ataque. O trecho até lá, no entanto, não é nem óbvio e nem fácil, sendo necessário realizar um “trepa pedra” exposto, quase uma escalada em rocha. Apesar da dificuldade, não é longo este tramo.

    É possível aproximar pelo vale do Chachacomani escalando as duas montanhas numa só investida.

    Ataque ao cume

    O ataque ao cume do Chearoco é técnico. Recomenda-se sair de madrugada para não pegar o gelo derretido. O primeiro lance de escalada é um dos mais difíceis, principalmente porque ali tem gelo verglass. Levar parafusos de gelo e estacas. Apesar da dificuldade, o ganho em altura fica rápido.

    Após ganhar mais altura pela crista da montanha, chega-se numa greta, onde é necessário achar um lugar para transpô-la e escalar a rampa no outro lado, que é o segundo escalão da montanha. Ele termina num falso cume bastante afiado onde forma-se cornijas. Cuidado com quedas de gelo e gretas.

    Descendo este falso cume ainda tem a subida do cume verdadeiro é que fácil. O topo é afiado como uma navalha e apresenta quedas significativas em ambos os lados. De acordo com Pedro Hauck, o primeiro brasileiro a subir todos os 6 mil bolivianos, esta é a segunda montanha mais difícil do roteiro.

    A descida se faz pela rota de subida.

    Equipamentos necessários:

  • Equipamentos de Camping para a base
  • Roupas para frio para o ataque
  • Botas duplas
  • Bastões de trekking 
  • Crampon
  • Corda
  • Óculos para alta montanha
  • Parafuso de gelo
  • Estacas de gelo
  • Equipamentos para comunicação via satélite

  • Veja mais:

    :: Relato de Pedro Hauck sobre ascensão ao Chearoco




    Veja esse roteiro no Google Earth:

    Notícias Relacionadas:

    Quer contribuir com o Rumos?

    O Rumos está aberto a contribuição de seus leitores. Clique para saber mais.

     



    .
    O site Rumos: Navegação em Montanhas é mantido pelo Portal AltaMontanha.com - Consulte nossa Política de Uso!