Chachacomani - Rumos: Roteiros para sua próxima aventura!
Chachacomani
 Arquivos disponíveis:
Trekking moderado
Montanhismo moderado

País - Bolívia Bookmark and Share

Chachacomani

Altitude Máxima: 6074 metros.

Altitude Mínima: 3990 em Peñas

Temporada ideal: De Maio a Setembro

Outros locais do roteiro:

  • Chachacomani
  • Chearoco
  • Keluani
  • Calzada
  • Forma da obtenção dos dados:

    Via GPS 62s por Maximo Kausch e Pedro Hauck. Agosto de 2014.

    Mais informações sobre este roteiro:


    Chachacomani em Aymará significa “água branca”, um nome que descreve bem como são as águas dos rios que nascem nesta nevada montanha, que tem como outra característica o fato de não ser muito visível do altiplano e também por ser muito pouco frequentada por montanhistas, apesar da grande beleza cênica de todas suas rotas de escalada.

    A cidade base para esta montanha é La Paz. Lá onde você conseguirá equipamentos e transporte. É muito difícil conseguir informações sobre esta montanha, uma vez que ela é guardada a sete chaves por ser bastante exclusiva. Durante a busca por acessos e rotas, todos os guias bolivianos negaram informações, menos o guia UIAGM  Juan Carlos Limachi da agência Climbing Bolivia.

    Há dois acessos à esta montanha, sendo que o “normal” era pelo leste, por povoados indígenas muito fechados. Esta rota foi a utilizada por Waldemar Niclevicz e Bruno Versiani, os dois únicos brasileiros a escalar esta montanha até 2014, ano em que Maximo Kausch e Pedro Hauck, de maneira independente e com seu próprio 4x4 escalaram a montanha pelo lado Oeste, que é mais fácil tecnicamente e é a rota presente neste tracklog.

    O acesso pelo lado Oeste se dá pela pequena cidade de Peñas, que é um lugar que também tem muita escalada em rocha. Lá tem uma paróquia onde o Padre é montanhista e conhece bem a região.

    A partir de Peñas começa uma série de estradinhas de terra em boas condições, mas com muita costela de vaca. É possível prosseguir com carro não tracionado, porém com suspensão alta. Cruza-se dois povoados e duas pontes metálicas. O acesso à montanha se dá logo depois da segunda ponte, que fica logo depois do povoado de Coromata à direita.

    Este caminho, em estrada muito pouco frequentada, sobe uma rampa de pedimentos e vai ganhando altura lentamente até chegar num topo de um morro, onde descortina-se uma visão privilegiada para a cordilheira Real. A estrada acaba logo abaixo deste morro, num sítio onde vive um índio chamado Santos, que trabalha como guia na região. Ali começa a caminhada.

    O vale do Kelluani é amplo e a base dele costuma ser encharcada. No vale há muita criação de Lhamas e as trilhas existentes ali são de animais. É preciso ficar procurando um bom local para progredir que não seja andar muita vertente do vale e nem no fundo. Atravessar o rio é necessário algumas vezes. São 8,7 km de caminhada até a base da montanha, onde há um belo lago glaciar.

    Se não quiser caminhar tudo isso, é possível acampar antes no vale, pois no dia seguinte a caminhada é curta, apenas 2,4 km e um desnível de 660 metros. Este acampamento base avançado é excelente, fica num local protegido e ao lado de um lago ainda mais belo que o da base. Ali existem várias torres de granito e uma grande possibilidade de escaladas em rocha.
    O ataque

    O ataque ao cume do Chachacomani por esta rota é pouco técnico, mas muito puxado fisicamente. São 6 km de caminhada e 800 metros verticais. Colocando isso na balança da altitude, é preciso se aclimatar bem. No caminho há várias gretas, pois se atravessa um grande glaciar. O ganho maior de altitude é no final, que tem um tipo de uma barbatana de tubarão onde fica o cume. Apesar de ser amedrontador este trecho, ele não é difícil. Porém cuidado. Qualquer descuido e verá Jesus mais cedo!

    Para escalar esta montanha é preciso ter botas duplas, crampons, botas duplas e estar encordado o tempo todo. Recomenda-se usar capacete e se aclimatar muito bem.
    Um rico relato sobre esta escalada encontra-se na página pessoal do montanhista Pedro Hauck. Leia na íntegra antes de escalar esta montanha.

    Equipamentos necessários:

  • Equipamentos de Camping para a base
  • Roupas para frio para o ataque
  • Botas duplas
  • Bastões de trekking 
  • Crampon
  • Óculos para alta montanha
  • Equipamentos para comunicação via satélite


  • Veja mais:

    :: Relato de Pedro Hauck sobre ascensão ao Chachacomani




    Veja esse roteiro no Google Earth:

    Notícias Relacionadas:

    Quer contribuir com o Rumos?

    O Rumos está aberto a contribuição de seus leitores. Clique para saber mais.

     



    .
    O site Rumos: Navegação em Montanhas é mantido pelo Portal AltaMontanha.com - Consulte nossa Política de Uso!