Escaladas em Pedra Bela - Rumos: Roteiros para sua próxima aventura!
Escaladas em Pedra Bela
 Arquivos disponíveis:
Selecione um dos arquivos disponíveis
Escalada fácil

País - Brasil - São Paulo Bookmark and Share

Escaladas em Pedra Bela

Altitude Mínima: 1000 metros, na cidade

Temporada ideal: O ano inteiro

Outros locais do roteiro:

  • Pedra do Santuário
  • Pedra da Maria Antonia
  • Forma da obtenção dos dados:

    Via GPS e Georreferenciamento em 2010 por Pedro Hauck.

    Mais informações sobre este roteiro:


    Pedra Bela, na região de Bragança Paulista, tem dois morros onde é possível escalar, o Morro do Santuário e a o Morro da Maria Antonia.

    Em ambos locais as vias são fáceis e são ótimas opções para quem está aprendendo a escalar.

    No Morro do Santuário há um igreja no topo e as vias de escalada são predominantemente esportivas, com muitas vias fáceis, mas algumas um pouco mais difíceis que são escalas em cristais muito machuquentos.

    Na Maria Antonia há algumas vias maiores, com até 110 metros de altura, que é o caso da Mão de Ouro, via mais conhecida do local que tem várias enfiadas, todas protegidas de apenas quarto grau.

    Este roteiro contém no anexo:
    Tracklog de acesso à Pedra Bela

    • Tracklog de acesso à Pedra do Santuário
    • Tracklog de acesso à Pedra da Maria Antonia
    • Mini guia de escalada da Pedra do Santuário
    • Mini guia da escalada da Pedra da Maria Antonia

    Confira abaixo a descrição das vias da Pedra do Santuário (versão de download nos anexos):

    Atenção os dados destes croquis são de Março de 2006. Há vias novas e muitos grampos perdidos na parede, que não aparecem no croquis, de forma que muitas vezes as escaladas na pedra do Santuário acabam por ser confusas. Por isso recomenda-se não abrir mais vias no local.

    Setor Visão da Chegada

    a. Stricnina 5sup (VIa): 9 proteções - 25m (André Prata/Fernando Davanzo) via que sobe diagonalmente para esquerda, passagens bem verticais em pequenos, médios e grandes cristais

    b. Adrenalina 6a (VIIa): 8 proteções - 25m (André Prata/Fernando Davanzo) via mais difícil da parede. Crux em pequeno negativo com agarra de pinça, vale a pena, bem protegida. Evite o 5o "P" para não criar um atrito insuportável!

    c. Pedras que caem 5o: 6 proteções - 25m (Alexandre Anderson e Geraldo Sanzanelle) pelo que parece a via mais antiga da parede. Proteções em chapeletas com parada em parafusos e correntes! muito gostosa de fazer, bem tranquila e bem protegida.

    d. Morfina 6b: 8 proteções - 30m (Ronaldo Frazen(Nativo)/André Prata) cristais e mais cristais. crux em passagem negativa que lembra movimento de boulder.

    e. Caminho da Corte 4o: 6 proteções - 25m (Alexandre Anderson e Geraldo Sanzanelle) via muito tranquila, a mais fácil da parede. Boa para aquecer. Cuidado com a vegetação local!

    Setor Visão do Plateau


    a. ??? 5: 9 proteções - 25m (???) via tranquila com zig-zag de corda. Use costuras longas para sofrer menos com o atrito da corda.

    a2. ??? 4: 2 proteções - 5m (???) apenas uma possível continuação da via a para se chegar ao cume da pedra

    b. ??? 5 sup: 4
    proteções - 20m (???) via não muito difícil mas com alguns esticões e
    rocha podre. MUITO cuidado nessa via pois pedras quebram!

    c. ??? 7a:
    5 proteções (chapeletas) - 15m (???) via esportiva e a mais difícil do
    local, extremamente vertical em micro agarras. Protegida com chapeletas,
    sendo necessário abandono de fita para sua descida.

    d. ??? 5o: 8 proteções (chapeletas) - 25m (???) via tranquila. Proteções com chapeletas e apenas um P para rapel na parada.

    Setor Visão Lateral

    a. ??? 4o: 6 proteções - 50m (???) via com alguns esticões mas bem tranquila, pode ser feita com uma parada na metade ou de uma vez até sua parada final.

    b. ??? 4osup: 6 proteções - 40m (???) via tranquila com alguns grampos P em péssimo estado. Duas enfiadas podendo ser feita em um esticão só.

    c. ??? 6a (primeira enfiada) 4osup (2a enfiada): 7 proteções - 50m (???) via com saída complicada em pequenas agarras que depois vira passeio no parque... Parada em P e chapeleta, podendo-se alcançar uma parada alternativa (e nova) com dois Ps logo ao seu lado.

    d. Novalgina 5o sup: 5 proteções - 45m (Francisco Parreira e Eduardo Abreu - 97) via com saída que merece ser escalada mas com algumas proteções faltando. Toda em chapeleta (exceto a terceira proteção onde devia haver uma parada mas falta uma chapeleta) e com a segunda proteção também roubada. Se for escalá-la MUITO cuidado pois em caso de queda certamente você chegará ao chão!

    Setor dos Fundos (campo escola de escalada)

    a. Jangadeiro 2o: 4+x proteções - 45m (Airton Rosas e André Miki) via muito tranquila com alguns esticões, boa para ir embora no final da tarde subindo de uma vez as suas duas enfiadas

    b. Maracujina 2o III: 7+6 proteções - 45m (André Prata 1986) via tranquila recomendada para iniciantes começando a guiar. Muito bem protegida. Interessante para iniciantes treinarem via com mais de uma enfiada (pode ser feita em um esticão só).

    c. Via que cruza 2o: 8+6 proteções - 45m (Mario Arnaud e Rafael Wojcik) ídem anterior. Via recém grampeada/reformada, dia 01/05/03.

    d. A2B 2o/IV: 3+4 proteções - 45m (Airton Rosas e Paulo 1998) via tão fácil quanto exposta, 25 metros na primeira enfiada e apenas três proteções. Não subestime a via, pois em caso de queda a parede vai virar ralador.

    e. Anfetamina 5o: 5 proteções - 20m (Alexandre Anderson e Marcos Abrahão, 1998) última via da parede, estilo diferente das outras com menos agarras. Passa para outro lado da crista. Parada em chapelete a grampo "P" do século passado, cuidado!

    Veja mais:

    :: Faça um curso de escalada em Pedra Bela



    Veja esse roteiro no Google Earth:

    Quer contribuir com o Rumos?

    O Rumos está aberto a contribuição de seus leitores. Clique para saber mais.

     



    .
    O site Rumos: Navegação em Montanhas é mantido pelo Portal AltaMontanha.com - Consulte nossa Política de Uso!